quinta-feira, 29 de junho de 2017

ALEPO

Não é mesmo à toa a parábola da moeda extraviada, da ovelha perdida ou do filho pródigo. Viver é sobre perder-se. Abrir mão de certas coisas. Fazer escolhas. Deixar fluir. Alguém já disse no judiciário que o ladrão pagará qualquer quantia por sua liberdade, mas não hesitará a perdê-la pelo mínimo trocado. A vida é uma piada que a gente custa a entender. E vendo assim parece até quase justo diante dessa gloriosa dádiva o decréscimo de descontos. Perdemos tempo, cabelo, dentes, viço, amizades, memórias, coragem, viagens, oportunidades...  Enfim, algum célebre escritor de best sellers que escalou o monte Fuji e dividiu uma tenda com índios em uma tribo isolada no Peru dirá que ironicamente as perdas nos farão mais fortes, mais sábios quando em verdade só nos tornaram cientes do que sobrou.

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Um belo de um filho da puta me disse algo assim.

      Excluir
  2. Jura que tem a idade que diz ter? Eu pensava que só gente velha (idosos!) tinha essa percepção. E estranho é o fato que podem perceber e sentir isso, mas jamais escreveriam tão bem assim.

    ResponderExcluir
  3. É muita gentileza da sua parte, acho que andei mentindo se nunca disse que tenho 1028 anos? Acredite em mim eu não gostaria de saber dessas coisas tão cedo sobra muita vida pela frente.

    ResponderExcluir
  4. FDP

    A vida é o resultado dos despojos acumulados, em nossas batalhas diariarias. Dentre perdas grandes e perdas menores, estamos nós. Vivendo.


    Ainda vejo seu sorrizo, quando fecho os olhos, minha linda

    ResponderExcluir