sábado, 30 de setembro de 2017

Loucos de Estimação (à nossa Loucura)

Poema da Amante

Eu te amo
Antes e depois de todos os acontecimentos,
Na profunda imensidade do vazio
E a cada lágrima dos meus pensamentos.
Eu te amo
Em todos os ventos que cantam,
Em todas as sombras que choram,
Na extensão infinita dos tempos
Até a região onde os silêncios moram.
Eu te amo
Em todas as transformações da vida,
Em todos os caminhos do medo,
Na angústia da vontade perdida
E na dor que se veste em segredo.
Eu te amo
Em tudo que estás presente,
No olhar dos astros que te alcançam
E em tudo que ainda estás ausente.
Eu te amo
Desde a criação das águas,
desde a ideia do fogo
E antes do primeiro riso e da primeira mágoa.
Eu te amo perdidamente
Desde a grande nebulosa
Até depois que o universo cair sobre mim
Suavemente.



4 comentários:

  1. Wenn wir unsere Augen schließen
    Weder Klang noch Bewegung noch die Sonne
    Nichts anderes wird zwischen mir und sein
    Ich liebe so sehr
    Die Schüler werden
    In diesem Moment
    Nur was von einem zum anderen ausgeht
    Der Traum beginnt
    Mein
    Dein
    Unser Traum.

    Ps: Ich habe nicht aufgehört dich für eine Sekunde zu lieben, wie das erste Mal sah ich dich lächelnd

    Immer dein W

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Je n'ai pas cessé de t'aimer pendant une seconde, comme la première fois que je t'ai vu sourire"

      Excluir
  2. Este blog está cada dia mais internacional! E eu me sinto um intruso entre dois comentários tão pessoais (obrigado, Google Tradutor!). Mas não poderia deixar de dizer que o poema é lindo, lindo (apesar da Luma).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá fofoquito, einh, JB!! O poema é lindo mesmo, mas a autoria não é minha - infelizmente. Na verdade não descobri exatamente se é do poeta maldito Ismael Nery ou da sua esposa Adalgisa. Fica aí plantada a dúvida. Agora sobre a Luma, ela era gostosa pacaralho, era sim...

      Excluir