sábado, 7 de outubro de 2017

Memórias de fatos inventados

De corpo e alma

A minh'alma inquieta descansa
Enquanto o corpo se agita
Quando o corpo enfim perece
A alma que o visita
E vem a vontade louca
De ter você por completo
Mesmo sabendo
Que eu sempre vou esperar por você
Não como a terra seca
Espera pela chuva fina
(Com candura)
Mas como a morte certa
Espera pela vida


Nenhum comentário:

Postar um comentário